12 C
Lisbon
22 Fevereiro 2019
DTM

Qualificação é o ponto fraco de Frijns, segundo o piloto

O ano de 2018 fica marcado, para Robin Frijns, pela sua estreia absoluta no DTM. Aos comandos de um Audi terminou o campeonato em 13.º lugar conseguindo pelo caminho dois pódios. Apesar de não ter sido uma época propriamente negativa, o holandês sabe que há aspectos a melhorar.

Entre eles, Frijns destaca em particular a prestação em qualificação. Ao site oficial do DTM, o piloto admitiu que as qualificações foram mais difíceis para si ao longo de 2018, pelo que será um aspecto a trabalhar para melhorar:

– Por vezes tive azar, por vezes faltou-me ritmo. Este foi definitivamente o meu ponto fraco [a qualificação]. Colocar os pneus nas temperaturas de funcionamento adequadas foi difícil. Só tens uma volta, no máximo duas se tiveres sorte, para a tua volta mais rápida. Preparar os pneus não foi fácil para mim. Isso é algo em que definitivamente tenho de trabalhar”.

Créditos da imagem: Juergen Tap/Hoch Zwei

Related posts

Mortara ganhou primeira corrida do DTM em Norisring numa ‘dobradinha’ Mercedes

Bernardo Matias

Félix da Costa admite regressar ao DTM

Redacção

Jamie Green explica o que não correu bem na sua época de DTM

Bernardo Matias

Leave a Comment

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

Privacy & Cookies Policy
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com