• Home
  • WRC
  • Neuville vencedor de um emocionante Rali da Sardenha por 0,7s
Destaques WRC

Neuville vencedor de um emocionante Rali da Sardenha por 0,7s

Thierry Neuville ganhou o Rali da Sardenha, sétima ronda do Mundial de Ralis (WRC), ao bater Sébastien Ogier (M-Sport Ford) por apenas sete décimas de segundo – uma das margens mais curtas de sempre, semelhante àquela com que o belga ganhou na Argentina em 2017. Além disso, ganhou a Power Stage, pelo que fez todos os pontos possíveis nesta prova e reforçou o comando do campeonato.

Neste último dia, Neuville entrou determinado em anular a curta margem que o separava de Ogier, sendo o mais forte na primeira classificativa de domingo (PEC 17) para superar o gaulês por oito décimas. Seguiram-se os Toyota de Ott Tänak e Jari-Matti Latvala, enquanto Hayden Paddon encerrou o lote dos cinco mais rápidos noutro Hyundai e reforçou o quarto posto da geral na frente de Mads Østberg – autor do sétimo registo. Esapekka Lappi, por seu turno, foi nono aos comandos de um Toyota, mas depois de Latvala não ter chegado ao fim do percurso de sábado já estava sólido no terceiro lugar da geral.

Seguiu-se a 18.ª especial e Neuville tirou mais 1,8s a Ogier ao ganhar novamente o troço na frente do rival do Ford. Andreas Mikkelsen (Hyundai), já fora da luta pelos primeiros lugares do rali, rubricou a terceira marca na frente de Tänak e Latvala. Lappi foi nono e perdeu apenas sete décimas para Paddon (oitavo), mantendo mais de 53 segundos de vantagem no lugar mais baixo do pódio da geral. O neozelandês, por seu turno, aproveitou para ganhar cerca de dois segundos a Østberg na discussão do quarto posto.

Antes da Power Stage, os pilotos cumpriram a segunda passagem em Cala Flumini para a PEC 19. Neuville voltou a impor-se, desta feita meio segundo à frente de Ogier, o que deixou ambos separados por oito décimas à entrada da derradeira classificativa nas duas primeiras posições, com vantagem para o gaulês.  Tänak, Latvala e Teemu Suninen (M-Sport Ford) fecharam o top cinco do troço na frente de Paddon e Lappi – este último continuou assim a conservar uma margem muito tranquila no terceiro lugar. Já Paddon dilatou para 15,3s a vantagem para o quinto classificado Østberg.

As decisões passavam então pela derradeira especial, a Power Stage da PEC 20. Neuville impôs um ritmo bastante forte e assumiu a liderança enquanto Ogier – último em estrada – já cumpria o seu percurso. O francês foi 1,5s mais lento do que o belga, que ganhou o troço, somou cinco pontos adicionais e assegurou o triunfo final por 0,7s. Tänak, Mikkelsen e Elfyn Evans (M-Sport) fecharam o top cinco do troço para somarem os restantes pontos adicionais, ao passo que na geral Lappi selou tranquilamente o lugar mais baixo do pódio com o sexto registo da especial. Paddon e Østberg ocuparam as restantes posições do top cinco.

Num resumo muito breve do rali, Ogier entrou com o melhor tempo na super-especial de abertura, mas na manhã de sexta-feira Mikkelsen assumiu a liderança que ocupou até começar a sofrer problemas na primeira classificativa da tarde desse dia. Ogier regressou assim ao comando que nunca mais largou. Chegou a ter 19,5s de margem face a Neuville – que foi sempre o seu principal perseguidor – mas desde a PEC 12 ambos andaram sempre separados por menos de sete segundos. Este domingo, o belga não deu quaisquer hipóteses e anulou a desvantagem com a vitória em todas as especiais disputadas.

No que respeita ao lugar mais baixo do pódio, depois de Tänak e Suninen ficarem fora da contenda na PEC 9, passou a ser uma luta entre os Toyota de Latvala e Lappi, antes do primeiro finlandês ser forçado a parar no fim do dia de sábado já na ligação ao parque de assistência. Daí em diante, Lappi já tinha uma margem suficientemente confortável para o principal perseguidor, Paddon, pelo que este domingo só teve que gerir.

Quanto ao WRC 2, Jan Kopecký não correu grandes riscos este domingo aproveitando a extensa margem que ontem alcançou depois do abandono de Stéphane Lefebvre (Citroën). O checo do Skoda termina o rali com mais de três minutos de vantagem face a Ole Christian Veiby (Skoda), que ao ser mais forte em três das classificativas deste último dia superou Nicolas Ciamin (Hyundai) para chegar ao segundo lugar final.

Top dez final:

Créditos da imagem de capa: Hyundai Motorsport GmbH

Related posts

Ogier admite que pódio na Polónia superou expectativas

Bernardo Matias

Mäkkinen: “A Córsega deve ser um bom rali para a Toyota”

Bernardo Matias

Ecclestone confirma: “Já não sou líder da F1”

Bernardo Matias

Leave a Comment

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

Privacy & Cookies Policy
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Login

X

Register