12 C
Lisbon
22 Fevereiro 2019
DTM

Jamie Green considera que o DTM precisava de deixar os motores V8

O DTM é alvo de profundas alterações em 2019, com a entrada em vigor dos regulamentos Class 1. Além da aerodinâmica, os motores sofrem as maiores mudanças, passando a ser turbo 2.0 litros de quatro cilindros em linha mais potentes, estando os carros aptos a participarem também nas Super GT Series do Japão.

Jamie Green afirmou ao site do DTM que era preciso mudar as regras, mostrando-se entusiasmado: “Foi uma mudança necessária. Não podíamos continuar a competir com os motores V8 para sempre. Fazíamo-lo há muito tempo mas agora era altura de algo mais moderno. E gosto da potência aumentada dos motores. Com o DRS, a velocidade de ponta no fim das rectas pode exceder os 300km/h. É muito porreiro”.

Além disso, Green aplaudiu a eficiência dos regulamentos ao permitirem que um carro participe em mais do que um campeonato e a ligação às Super GT Series: “No geral, ter as regras Class 1 faz muito sentido uma vez que te permitem competir com um carro em vários campeonatos. Isso é eficiente. A ligação com as Super GT Series é lógica. Espero que ambos os campeonatos beneficiem das regras conjuntas no futuro”.

Créditos da imagem: Audi Communications Motorsport / Michael Kunkel

Related posts

Wittmann e as novas regras de DTM: “Mais potência é sempre bom para os pilotos”

Bernardo Matias

Alex Zanardi: “O maior desafio? Manter o BMW M4 DTM em pista”

Bernardo Matias

Gerhard Berger quer fim do sistema de lastro no DTM

Bernardo Matias

Leave a Comment

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

Privacy & Cookies Policy
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com