12 C
Lisbon
22 Fevereiro 2019
Formula 1

Isola (Pirelli): “Não podemos dizer às equipas que têm de adoptar uma estratégia mais lenta só para o espectáculo”

A Pirelli está ciente que não é útil ser mais agressiva na escolha dos pneus para cada Grande Prémio de Fórmula 1 para criar uma maior diversidade de estratégias. O director desportivo do fabricante milanês explicou que, comparando os dois últimos anos, viu-se que as escolhas mais agressivas em 2018 só fizeram aumentar a gestão de ritmo de corrida, com as equipas a calcularem na mesma a estratégia mais rápida possível (na maioria das vezes de apenas uma paragem para troca de pneus).

À publicação Racer, o italiano começou por explicar que são os dados em situação real de corrida que permitem, de facto, compreender, que caminho é o melhor para seguir: “Como é óbvio temos de recolher alguns dados no início da época – como fazemos todos os anos, porque desenhamos um novo pneu – mas depois os dados que vêm das corridas são os mais fiáveis. Portanto recolhemos dados das corridas e compreendemos qual é a direcção certa”.

Isola referiu de seguida: “Fizemos uma análise muito interessante comparando 2017 e 2018. Lembrar-se-ão que em 2017, no geral, todos diziam que devíamos ter uma abordagem mais conservadora. Tínhamos os novos monolugares e tudo, mas a realidade é que não fomos mais agressivos em todas as corridas de 2018. Por exemplo, em Spa em 2017 decidimos uma escolha agressiva e em 2018 foi semelhante. Tentámos fazer um cálculo sobre a gestão de ritmo durante a corrida e é comparável entre 2017 e 2018”.

O responsável da Pirelli admitiu que existiram corridas de 2018 com uma maior gestão de ritmo, nomeadamente aquelas em que a Pirelli forneceu pneus um ‘degrau’ mais macios (e ainda maior, no caso em que houve uma diferença de dois ‘degraus’ a menos de dureza). Isto para tentar fazer a estratégia de trocas de pneus mais rápida possível.

Assim, Isola sustentou que não é possível forçar as equipas a seguirem uma estratégia só em benefício do espectáculo, pelo que urge pensar em alguma forma de ter um espectáculo melhor na F1:

– Portanto, neste ponto dissemos que não podemos obrigar as equipas a terem uma estratégia diferente, porque como é óbvio eles fazem um cálculo. […]. Não lhes podemos dizer que têm de adoptar uma estratégia diferente que é mais lenta só para o espectáculo. Portanto, se esta é a realidade, é muito melhor aceitar a realidade e tentar pensar em algo que melhore verdadeiramente o espectáculo”.

Créditos da imagem: Sam Bloxham

Related posts

Sebastian Vettel: “Bottas pilotou melhor que os outros, merece a vitória”

Bernardo Matias

Toto Wolff: “Hamilton está na melhor posição desde que se juntou à Mercedes”

Bernardo Matias

Horner alerta que mudanças de 2019 podem aumentar distâncias entre equipas na F1

Bernardo Matias

Leave a Comment

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

Privacy & Cookies Policy
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com