14.3 C
Lisbon
18 Outubro 2018
Formula 1 História

HISTÓRIA: O GP do Canadá de 1993

Três semanas depois de Ayrton Senna tem vencido nas ruas do Mónaco, máquinas e pilotos estavam em Montreal, palco do GP do Canadá, sétima prova do Mundial. O Circuito Gilles Villeneuve, em Montreal, era palco da unica paragem americana que a Formula 1 fazia nesse momento, já que nesse ano eles não viajavam mais ao México e parecia que tinham perdido o interesse em correr nos Estados Unidos, dpeois da experiência de correr em Phoenix tinha acabado em 1991.

Ao contrário das corridas anteriores, os Williams estavam em forma, e isso provou-se nos treinos. Alain Prost e Damon Hill monopolizaram a primeira fila da grelha, enquanto que Michael Schumacher, no terceiro posto, superava mais uma vez Ayrton Senna nos treinos, e tinha o veterano Riccardo Patrese ao seu lado, sendo quarto na grelha, e Gerhard Berger era quinto, no seu Ferrari, com Jean Alesi em sexto. Martin Brundle, no seu Ligier-Renault, era sétimo, com Ayrton Senna no oitavo lugar. E a fechar o “top ten” estavam o Sauber-Mercedes de Karl Wendlinger e o segundo Ligier de Mark Blundell.

Michele Alboreto, no seu Lola, acabaria por não se qualificar para a corrida.

A corrida decorreu sob céu claro, e Damon Hill surpreendeu Alain Prost e ficou com a liderança, com Ayrton Senna a fazer uma “partida-canhão”, onde em menos de duas voltas, passou Brundle, Patrese, Alesi e Schumacher para ser quarto. Na volta seguinte, ultrapassa o Ferrari de Berger e instala-se na terceira posição, atrás dos dois Williams. As coisas mantêm-se até à sexta volta, altura em que Prost passa Hill para ser o líder, ficando por lá até ao final.

Após essa ultrapassagem, Senna tentou apanhar Hill, mas não o conseguiu até à altura das trocas de pneus, quando o piloto inglês teve problemas no arranque e desceu para o quarto lugar. Entretanto, Jean Alesi já tinha desistido, devido a problemas de motor.

Na volta 44, Riccardo Patrese, que seguia na quinta posição, tinha problemas físicos e teve que desistir, com Senna em segundo, e conformado com os seis pontos que poderia alcançar. Mas na volta 62, a sete do fim, o alternador foi-se e Senna encostou à berma. A desvantagem mínima passou para máxima, ao ver que o seu mais directo adversário iria conseguir dez pontos…

Assim sendo, com Prost vencedor, Michael Schumacher herdava a segunda posição e Hill ficou com o lugar mais baixo do pódio. A completar os lugares pontuáveis ficaram o Ferrari de Berger, o Ligier de Brundle e o Sauber de Karl Wendlinger, que conseguia aqui o seu primeiro ponto do ano.

Related posts

Fernando Alonso quer mais pontos na segunda metade da época

Bernardo Matias

GP da Dinamarca de F1 perde força

Bernardo Matias

McLaren ainda não sabe quando terá o novo conceito aerodinâmico

Bernardo Matias

Leave a Comment

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

Privacy & Cookies Policy
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com