14.8 C
Lisbon
20 Novembro 2018
Destaques Formula 1

Hamilton dominou em França para voltar às vitórias e à liderança da F1

Lewis Hamilton está de volta às vitórias na Fórmula 1, ao dominar o GP de França deste domingo, em Paul Ricard. Arrancou da pole position e só perdeu a liderança durante algumas voltas após parar nas boxes, controlando sempre a prova na frente de Max Verstappen. Kimi Räikkönen fechou o pódio, enquanto o seu colega Sebastian Vettel teve que recuperar até quinto e assim cedeu a dianteira do Mundial a Hamilton

No arranque, Hamilton manteve-se na frente, enquanto Valtteri Bottas e Vettel envolveram-se num incidente. O Mercedes do finlandês ficou com um pneu furado e o Ferrari do alemão ficou com a asa dianteira danificada. Verstappen subiu a segundo. Enquanto isso, Esteban Ocon (Force India) e Pierre Gasly (Toro Rosso) também ficaram de fora devido a incidente. O safety car foi chamado a intervir; Bottas e Vettel tiveram que passar pelas boxes para repararem danos nos seus monolugares, Ocon e Gasly abandonaram.

A prova foi reatada na sexta volta, com Hamilton a conservar o comando na frente de Verstappen e Carlos Sainz (Renault). O britânico foi-se afastando gradualmente, sendo o maior motivo de interesse a discussão pelo terceiro lugar. Ricciardo e Kimi Räikkönen (Ferrari) acabaram por levar a melhor sobre Sainz, que caiu para quinto.

Mais atrás, Vettel chegou facilmente a 11.º lugar, sendo depois penalizado em cinco segundos por ser considerado culpado pelo incidente com Bottas. Na 11.ª volta o alemão voltou aos lugares pontuáveis ultrapassando o Renault de Nico Hülkenberg. A penalização seria cumprida numa eventual futura paragem nas boxes ou o tempo seria adicionado ao tempo final da corrida. Entretanto, as nuvens escuras adensavam-se nos arredores do Circuito de Paul Ricard, deixando a ameaça da chuva a pairar – ameaça que não se concretizou.

Sem grande acção nos lugares cimeiros, Vettel ia recuperando depois do incidente inicial, chegando ao sétimo lugar na volta 17 ao deixar para trás Charles Leclerc (Sauber), que continuava a fazer uma exibição sólida. Nesta altura, Hamilton dispunha de cerca de quatro segundos e meio de vantagem para Verstappen. Pouco depois, Vettel ultrapassou Kevin Magnussen (Haas) para chegar a sexto. Mais atrás, Bottas aproximava-se do top dez e era 11.º na volta 20.

Verstappen deu o mote para as paragens nas boxes entre os primeiros classificados, fazendo-o no começo da volta 26. Montou pneus macios no seu Red Bull e voltou à pista em quarto como o primeiro dos que já tinha parado. Na volta 29 foi a vez do colega do holandês, Ricciardo, fazer uma troca idêntica, caindo para quinto atrás de Vettel.

Hamilton também montou pneus macios no começo da volta 34, caindo provisoriamente para o segundo lugar atrás de Räikkönen, que ainda não tinha parado. O finlandês passou pelas boxes uma volta mais tarde caindo para quinto, ultrapassado por Ricciardo e Vettel – o australiano tinha entretanto recuperado posição ao germânico. Daí em diante, Hamilton conseguiu manter uma margem sólida para Verstappen, que por sua vez também tinha uma distância muito segura para o colega de equipa Ricciardo.

As duas primeiras posições acabaram por não ter mais alterações até ao final, apenas com Hamilton a distanciar-se mais. Mais atrás, Räikkönen recuperou na volta 39 a quarta posição que tinha perdido para Vettel, cujos pneus macios já rodavam desde a segunda volta. O alemão acabou por montar pneus ultramacios duas voltas mais tarde, já depois de Bottas fazer uma operação semelhante caindo para nono. Vettel manteve-se em quinto à frente de Sainz.

Nas derradeiras voltas, Räikkönen estava bastante mais rápido do que Ricciardo e conseguiu mesmo a ultrapassagem ao adversário na volta 47 sem grandes dificuldades para chegar ao lugar mais baixo do pódio. Já distante de Hamilton e Verstappen, o finlandês terminou assim em terceiro, com Ricciardo e Vettel a fecharem o top cinco. Magnussen foi o ‘melhor dos outros’ em sexto na frente de Bottas – cuja recuperação acabou no sétimo posto. Sainz teve problemas no seu Renault nas derradeiras voltas caindo para a oitava posição final.

Os lugares pontuáveis foram fechados por Nico Hülkenberg (Renault) e Leclerc, que assim voltou a pontuar aos comandos de um Sauber. A prova foi especialmente complicada para a McLaren, que depois de não passar da Q1 teve Stoffel Vandoorne como o melhor em 12.º atrás de Romain Grosjean (Haas). Fernando Alonso  quedou-se pelo 17.º lugar e foi o último dos que terminou a prova.

Resultados:

Créditos da imagem de capa: Steve Etherington

Related posts

Ricciardo promete não deixar escapar eventual chance de pódio nos EUA

Bernardo Matias

VÍDEO: O Red Bull Ring explicado por Verstappen

Bernardo Matias

Kristensen: “Versatilidade de Alonso era o que via nos grandes pilotos”

Bernardo Matias

Leave a Comment

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

Privacy & Cookies Policy
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com