11.8 C
Lisbon
17 Janeiro 2019
Formula 1

Grosjean considera que “há poucas coisas” a melhorar para a Haas poder superar a Renault

Em 2018, a Haas foi uma das equipas que mais luta deu à Renault na luta para ser ‘melhor das outras’ no Mundial de Fórmula 1, terminando em quinto a uma margem relativamente curta do quarto lugar dos franceses. Romain Grosjean, um dos pilotos da formação norte-americana, considera que não há muito por onde melhorar, mas destacou a produção de peças como uma área particularmente carente.

Questionado sobre o que é preciso a Haas melhorar para poder aspirar a Renault, o gaulês explicou que não há muito a fazer, embora existam naturalmente aspectos que podem ser melhores:

– Há poucas coisas. Um exemplo é que não produzimos componentes, pelo que precisamos de os fabricar externamente e, por vezes, demora um bocado. Esse é um exemplo que posso dar entre alguns, mas esse é um. Enquanto eles podem ter uma peça em três dias, na nossa equipa pode demorar três semanas”.

Grosjean recordou um episódio que se passou em 2018 – a desclassificação do GP de Itália pela Haas não actualizar o seu fundo plano de forma a cumprir uma nova directiva a tempo – para ilustrar essa sua visão: “Tal como o fundo plano, não tivemos tempo para o mudar para Monza, isso era a única coisa. O ganho de rendimento é zero, absolutamente zero, mas simplesmente não tivemos tempo para o fazer em Monza e a Renault jogou com isso”.

Créditos da imagem: Andy Hone

Related posts

F1 desiste da pré-época no Bahrein

Bernardo Matias

Hülkenberg assegura que nunca relaxou com Palmer como colega

Bernardo Matias

Pelotão de F1 para 2019 ganha forma: só há uma vaga nas equipas de topo

Bernardo Matias

Leave a Comment

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

Privacy & Cookies Policy
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com