Lewis Hamilton dominou por completo o GP da Grã-Bretanha de Fórmula 1, liderando de fio a pavio além de fazer a volta mais rápida da corrida. Valtteri Bottas completou uma dobradinha da Mercedes ao ser o segundo classificado. Kimi Räikkönen fechou o pódio de uma corrida que colocou os dois primeiros do campeonato separados por apenas um ponto, com vantagem para Sebastian Vettel que foi o sétimo.

No arranque, Hamilton resistiu a um ataque de Räikkönen e manteve-se na dianteira depois de partir da pole position. O colega do finlandês na Ferrari, Sebastian Vettel, perdeu a terceira posição para Max Verstappen (Red Bull), que partiu empenhado em recuperar dos azares das últimas provas.

Ainda na primeira volta, Carlos Sainz e Daniil Kvyat protagonizaram um toque que acabou pior para o espanhol uma vez que foi forçado a abandonar. O russo foi pouco depois penalizado com uma travessia da via das boxes. O incidente entre os Toro Rosso motivou uma intervenção do safety car que durou até ao início da quinta volta.

No reatar, Hamilton conservou novamente a dianteira e Räikkönen não teve oposição para continuar na vice-liderança. A partir daí, o britânico da Mercedes adoptou um ritmo forte e partiu para uma prova de domínio, distanciando-se gradualmente do resto do pelotão. Verstappen mantinha-se na terceira posição à frente de Vettel, enquanto Valtteri Bottas começou a recuperar rapidamente e ao fim de 11 voltas já era o quinto classificado.

Após a 11.ª volta o top dez estava assim ordenado:

Pos. Piloto Dif.
1.º Lewis Hamilton 11 voltas
2.º Kimi Räikkönen + 2,600s
3.º Max Verstappen + 8,363s
4.º Sebastian Vettel + 8,940s
5.º Valtteri Bottas + 11,811s
6.º Nico Hülkenberg + 16,379s
7.º Esteban Ocon + 20,502s
8.º Sergio Pérez + 21,553s
9.º Stoffel Vandoorne + 23,577s
10.º Felipe Massa + 24,800s

Se nas duas primeiras posições não existiram grandes lutas, o mesmo não se pode dizer do terceiro posto, com Verstappen e Vettel a protagonizarem uma disputa bastante interessante ainda antes das primeiras paragens nas boxes. O alemão lançou um forte ataque ao holandês e chegou a ocupar o terceiro posto por instantes, mas o jovem holandês ripostou bem e recuperou o lugar mais baixo do pódio poucos metros depois.

Não muito mais tarde começaram as paragens nas boxes para os primeiros classificados. O primeiro a trocar de pneus foi Vettel, na volta 19, montando pneus macios no Ferrari. Depois foi a vez de Verstappen passar pelas boxes, mas a operação da Red Bull foi um pouco demorada e o holandês perdeu a posição para o rival germânico.

Na volta 24 entrou Räikkönen nas boxes e conseguiu conservar a posição relativa em pista. O top dez ficava assim:

Pos. Piloto Dif.
1.º Lewis Hamilton 24 voltas
2.º Kimi Räikkönen + 10,309s
3.º Valtteri Bottas + 20,633s
4.º Sebastian Vettel + 36,740s
5.º Max Verstappen + 40,114s
6.º Nico Hülkenberg + 42,112s
7.º Sergio Pérez + 50,624s
8.º Daniel Ricciardo + 52,613s
9.º Stoffel Vandoorne + 53,905s
10.º Felipe Massa + 57,930s

Uma volta mais tarde o líder Hamilton fez a troca de pneus e regressou à pista pouco à frente do seu colega Valtteri Bottas, que adiou bastante a sua paragem nas boxes – tal como fez Daniel Ricciardo que dava nas vistas mais atrás ao alcançar o sexto posto ao cabo de 30 voltas depois de ter arrancado de penúltimo.

Quando Bottas parou na 33.ª volta, o topo da classificação voltou à normalidade, uma vez que o top cinco já tinha todo feito as trocas de pneus. Hamilton e Räikkönen mantiveram-se nas duas primeiras posições, enquanto Vettel e Bottas regressaram na frente de Verstappen, que foi o mais prejudicado nas boxes.

A caminho da fase final da corrida, os dois primeiros classificados não tiveram rivais à altura. Por outro lado, Vettel teve dificuldades para manter um bom ritmo devido a problemas com os pneus dianteiros. Bottas, que por seu turno estava com uma velocidade bastante boa, aproximou-se rapidamente do alemão.

Na volta 43, na recta do Hangar, Vettel ainda se conseguiu defender, mas uma volta mais tarde não teve argumentos para resistir e permitiu a Bottas ascender ao terceiro lugar. A prova parecia decidida, mas estava longe de ser o caso. Entretanto, o top dez ficava assim arrumado:

Pos. Piloto Dif.
1.º Lewis Hamilton 45 voltas
2.º Kimi Räikkönen + 11,602s
3.º Valtteri Bottas + 19,490s
4.º Sebastian Vettel + 23,276s
5.º Max Verstappen + 32,621s
6.º Nico Hülkenberg + 1m06,882s
7.º Daniel Ricciardo + 1m12,300s
8.º Esteban Ocon + 1m29,564s
9.º Sergio Pérez + 1m30,356s
10.º Felipe Massa + 1m31,885s

As últimas três voltas foram dramáticas para os Ferrari. Primeiro, foi Räikkönen a ver um dos pneus dianteiros a desfazer-se, tendo que parar nas boxes caindo de segundo para quarto – o que permitiu a Bottas ascender ao segundo lugar completando uma ‘dobradinha’ da Mercedes.

Vettel recuperou assim o terceiro posto mas, uma volta depois de Räikkönen, teve também um pneu dianteiro a rebentar sendo forçado a ir às boxes. Azar do alemão que assim caiu para a sétima posição final e permitiu ao finlandês ficar com o lugar mais baixo do pódio. Verstappen, que parou nas últimas voltas para evitar problemas semelhantes aos dos Ferrari, encerrou na quarta posição.

Daniel Ricciardo recuperou um total de 14 lugares para terminar em quinto na frente de Nico Hülkenberg (Renault), que fez uma corrida sólida rumo ao sexto posto final – um dos seus melhores resultados desde que ingressou na Renault. Vettel, os Force India de Esteban Ocon e Sergio Pérez e Felipe Massa fecharam o top dez. O brasileiro deu à Williams o último ponto desta prova que assinalou o 40.º aniversário da equipa na F1.

Houve apenas três pilotos a abandonar, nomeadamente Fernando Alonso (McLaren), Sainz (Toro Rosso) e Jolyon Palmer – o britânico da Renault nem chegou a arrancar devido a um problema hidráulico no seu Renault.

Resultados:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here