Domingos Piedade e Isabel Brazão, ex-responsáveis da empresa gestora do Autódromo do Estoril, foram esta sexta-feira condenados a um ano de prisão com pena suspensa, pela prática do crime de abuso de poder enquanto ocuparam os cargos.

A notícia é adiantada pelo Diário de Notícias, que refere que o Tribunal de Cascais considerou os arguidos como culpados. Domingos Piedade era presidente do conselho de administração da Circuito Estoril, sociedade de capitais públicos gerida pela holding do Estado Parpública desde 2002. Já Isabel Brazão era vogal da administração.

Os dois foram condenados por abuso de poder em factos factos praticados entre 2007 e 2013. Em causa está a utilização de cartões de crédito da empresa com plafond até 7.500 euros para fins pessoais, além do recebimento antecipado de vencimentos que depois não foram autorizados pelas Finanças. No caso de Domingos Piedade, entre as despesas irregularmente financiadas estão viagens de avião, facturas de telemóvel e restaurantes.

Para a juíza responsável pelo caso, foi colocada em causa “a imagem da administração pública e dos seus princípios legais” e uma pena de multa não era suficiente para reprovar os comportamentos praticados. De referir que, além da pena de prisão suspensa, Domingos Piedade terá ainda que pagar uma multa de 14.600 euros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here